Projecao Astral - Espiritualidade - Consciencia

Blog

Crônicas Omne 1x01\1x02

Publicada el 7 Ee noviembre Ee 2010 a las 10:10

VOLUME 1


Olá pessoal, as Crônicas Astrais tem agora um novo começo, será nada mais que uma reinterpretação da história, conhecido agora como Crônicas Omne, está tento uma boa recepção.


A história conta a jornada de Gabriel na busca da verdade sobre o mundo, durante seu caminho ele encontra a projeção, se deparando com um novo mundo a ser explorado.

Blog: http://cronicasomne.blogspot.com/






Capítulo 1: Ser

“E no começo havia o caos e os noves guardiões organizaram o caos, esta foi a primeira vinda(...)”

O livro da ordem Vol 1 Cap 1

    

     Gabriel acorda exausto, olha suas mãos para perceber se ainda estava sonhando, em seu quarto uma pintura do sistema solar, ainda com o nono ex-planeta, a dor de cabeça era suportável, mas incomodava, precisava lavar o rosto, checar como estava o lado de fora, noite agradável para um pesadelo, onde anjos faziam carnificina com humanos e criaturas horrendas devoravam suas partes em um céu assustador que cuspia fogo, nada demais, precisava acordar cedo, para mais um dia rotineiro e tedioso, a vida parece tão sem graça, vendo pessoas indo e vindo com propósitos semelhantes.      

Durante o dia, Gabriel, caminhando para o colégio, cabeça baixa, como se a percepção do mundo estivesse sendo fragmentada, na escola, nada bem, notas baixas, não tinha motivação para estudar, isolado, sem muitos amigos, aos quais também evitava presença, perguntava se era merecedor de sentimentos, como amizade, sua atenção estava descuidada, rabiscava nos cadernos paisagens de um mundo imaginário. O sinal toca, sua professora queria falar com ele, mais uma daquelas lições de moral, perda de tempo. “Gabriel, o que está acontecendo?” “A senhora não entenderia...” “Você era um aluno exemplar, e agora neste estado, preciso falar com seu responsável” “Minha tia...ela não...de novo não...” “Entregue esta carta a ela, uma solicitação para vir aqui”       Gabriel não queria entregar a carta, da mesma forma que não queria problemas. “Sarah...gostaria que você estivesse aqui...”       Sarah, irmã de Gabriel, 26 anos, ruiva, era a única amiga verdadeira que seu irmão considerava, mas após um conflito familiar com sua tia Isabel a seis anos ela absteve-se de aparecer em casa, a última notícia é que trabalhava como enfermeira em uma cidade vizinha.       No hospital onde Sarah trabalha um amigo antigo aparece, alto, olhos verdes e uma grande expressão de nobreza, Vishnu Delta como era conhecido, mas ao encontrar a irmã de Gabriel não parecia contente, em seus olhos notava-se preocupação, passaram a dialogar: “Olá Sarah” “Vishnu? O que faz aqui? Está infligindo uma lei de lá” “Tenho permissão do conselho, não sou quem quebrou as regras” “Não me diga que...” “Sim, ele está aqui, ou mais precisadamente, na cidade de seu irmão, ele pode fazer algo, devemos estar atentos” “Gabriel...precisamos fazer algo, se eles se encontrarem...ele não está preparado para isso, tão longe qualquer um, Vishnu...” “Você sabe que sempre preferi a verdade do que este mundo de ilusões, não posso lhe prometer que conseguirei cobrir tudo quando chegar lá” “Obrigada”       Gabriel mora na casa de seus tios, Isabel e Jones, desde cinco anos de idade, seu pai foi um renomado psiquiatra que matou a própria esposa e após cometeu suicídio, desde então tornou-se reservado e solitário, desejando que este mundo fosse apenas mentira, tal como o sonho, Isabel é muito rigorosa e ele não a tem com muito respeito devido a Sarah, Jones possui uma expressão imparcial. Era momento do jantar, como em todas as outras ocasiões o silêncio pairava no ar até então. “Gabriel, andei olhando em sua mochila e encontrei uma carta de sua professora” “Eu ia lhe entregar” “De dois dias atrás? O que eu falei sobre mentir, além disso uma reunião acerca de seu baixo desempenho? Por que, pelo menos uma vez na vida, você não se comporta como uma pessoa normal?” “Porque, devido a sua falta de discernimento, Sarah não está mais aqui, porque não aguento mais isso, todos os dias é sempre as mesmas conversas, mesmas rotinas, vou para meu quarto” “Gabriel!” “Deixe ele Isabel” “Mas Jones...” “Cada vez mais parecido com ela, não é mesmo?” “Acho que está no sangue dessa família, só não sei dizer se é uma benção ou maldição”       Em seu quarto, Gabriel refletia, queria tomar uma decisão, de ir embora, procurar Sarah, e após algum tempo concluiu, largar tudo para recomeçar a vida, arrumou em uma pequena mochila algumas roupas e partiu, pela janela, enquanto seus tios dormiam. Cruzar as ruas na cidade noturna vendo o submundo era uma tarefa difícil, liberdade sem restrições beiravam a anarquia, prostituição, mercado negro, tráfico, tudo claramente visível, mas para alguém que abandonou uma vida não parecia uma tarefa árdua, basta entra em colapso consigo mesmo para perceber, talvez isso seja o motivo daquelas pessoas que vivem dessa forma, em um mundo cada vez mais triste, alguns escolhem fugir de tudo que pode representar uma vida onde nascer-viver-morrer não é bastante, no fundo todos acabam tendo o mesmo sentimento.       Diante daquelas avenidas, cada vez mais escuras, Gabriel depara-se com algo estranho, um carro escuro lhe seguia a alguns metros, semelhante a uma van, na tentativa de despistá-los dobrava cada rua que visse, até mesmo contornando a mesma quadra, mas pareceu ser uma tarefa impossível, como se eles pudessem adivinhar cada passo seu.       Quando o carro ficou próximo, seu corpo inteiro paralisou, não podia correr ou gritar, foi uma situação de grande pânico, podia ouvir o coração batendo em grande intensidade, o carro parou descendo três pessoas com capuzes negros que cobriam toda a face, amarram Gabriel pelas mãos e pernas, além de ter sido vendado seus olhos e boca, foi jogado para dentro. Após algum tempo o carro parou, foi sentado em uma cadeira, o ambiente fedia como carne em decomposição, as vendas foram retiradas, o ambiente estava em quase penumbra, os murmúrios entre aquelas três pessoas que lhe raptaram era de um idioma diferente. Um dos homens se aproxima: “Quem é você? Por que estão fazendo isso comigo?” “Calado garoto, amanhã você vai acordar sem lembrar de nada, apenas coopere”       Uma outra pessoa, com um manto negro aparece: “O mestre chegou, ele quer falar com você” “Droga, bem na hora que eu iria apreciar o medo e desespero”       Os dois saíram para a sala de entrada da casa abandonada onde estavam, uma quarta pessoa entrou ao qual foi referido como mestre Huncamé, cabelo longo e escuro, sobretudo negro com uma divisa perto do pescoço, e uma máscara semelhante as usadas na cultura maia, exalava medo no ar. Após conversarem durante alguns minutos, Huncamé entrou na sala principal, com um olhar penetrante e uma voz aterrorizadora, fala com Gabriel: “Qual o seu nome?” “Ga-Gabriel...” “Qual o seu propósito?” “O que? Eu fui raptado, quer me soltar logo?” “Corajoso, como sua irmã” “Como sabe dela?” “É uma longa história, posso ver em sua assinatura energética o parentesco”       Era notório em Gabriel a tristeza e desesperança, ao Huncamé perceber isso, inesperadamente deu uma ordem: “Solte o garoto” “Senhor...” “Faça” Gabriel foi solto, ao perceber disso, correu para fora. “Mestre Huncamé...” “Conheci ele anos atrás, quando era um bebê ainda, pode ser eventualmente útil, mas sua miopia para a verdade é grande, não servirá para nada, somente fornecer ectoplasma por enquanto, não há necessidade de mantê-lo trancado.       Ao chegar na rua, Gabriel estava assustado, em pânico, ao perceber, uma luz em sua direção, um caminhão, arrebentando-o para longe, seria esse o fim?

 



Capítulo 2: O acidente

“Na noite em que o vazio cruzou o céu surgiu o ser humano(...)”

O livro da ordem Vol 3 Cap 10

     Deitado na rua, vendo o céu noturno, sem conseguir se movimentar, estava Gabriel, ironicamente, mais calmo, desce o caminhoneiro:“Você está bem?”     Com grande dificuldade de respirar e falar responde“Não consigo me mexer”“Já chamei uma ambulância, há algum parente que posso chamar também?”“Minha irmã...Sarah...trabalha no hospital principal da próxima cidade”      A ambulância chega, os hospitais da cidade estavam todos ocupados, portanto seria levado à próxima cidade, Vishnu vigiava a distância, aparentemente tinha chegado tarde demais. Ao chegarem no hospital estava Sarah.“Gabriel! O que aconteceu com ele?”“Atropelado por um caminhão, está perdendo muito sangue, precisamos fazer uma transfusão imediatamente”“Maninha...”“Eu posso doar, ele é meu irmão”      Após várias horas, Sarah recebe uma triste notícia, Gabriel teve um grave lesão na medula espinhal o deixando tetraplégico, não poderia mover mais as pernas e braços, ao entrar no quarto Gabriel acabara de acordar.“Sarah, tive um sonho muito estranho...o que foi? Por que não consigo me mexer?“Você ficou tetraplégico Gabriel”“O que? Como assim?”     Gabriel tentava desesperadamente movimentar-se, o máximo que conseguia era o pescoço”“Não, não!”“Gabriel...”“O que vou fazer? Como vai ser minha vida neste estado?”“Nossa tia está vindo lhe buscar, e preciso ir embora, sinto muito Gabriel”“Sarah! Por favor, volte, olhe para mim, Sarah!”      Partindo do quarto, Sarah chorou desesperadamente, Vishnu tenta consolá-la.“Sinto muito Sarah, não deu tempo”“Então essa é sua desculpa? Não deu tempo? Sabemos que você tem medo Vishnu, medo de quebrar as regras”“Sabe que não posso interferir, seria ir contra o conselho, passariam a achar que estou do lado de alguma legião das trevas”“Se preocupa mais consigo mesmo do que com as pessoas ao redor, seu poder de cura se torna inútil quando não quer usá-lo”      Em meio a discussão, aparece Huncamé.“Ora ora, se não é a dupla de deprimidos”“Você! É tudo culpa sua!”“E parece estarem cegos aos domínios do astral”      Sarah, em um ataque de fúria, através de suas habilidades psíquicas, consegue levantar Huncamé pelo pescoço.“Me dê uma razão para não dissolvê-lo agora”“Simples, você não pode, julgando Vishnu por sua incompetência, mas não quer também quebrar as regras, não, isso lhe amedronta, desde a última vez”“Não quero ver você mais por aqui”“Tolos, enquanto esse medo preenchê-los a guerra se alastrará até o físico, e quando isto acontecer...não terão nenhuma chance”      Huncamé desaparece, usando uma habilidade de eterização, onde as partículas de matéria passam a vibrar em outra frequência, o indivíduo passa a ficar invisível gradativamente até adentrar em outro plano de existência.“Huncamé tem razão Sarah, o conselho não se importa mais com a guerra, e ela está cada vez mais notável, não podemos ficar de braços cruzados”“O que você planeja?”“Agir, recrutar, os Mensageiros das Sombras estão escasso em pessoas, principalmente de projetores, precisamos estabelecer um grupo independente, que possa combater”“Mas o conselho...”“Dane-se o conselho, o que mais importa para você? A salvação do mundo ou o alastramento das trevas?”“Como faremos isso?”“Você precisa ir para Confugii, falar com Marcos, vou resolver alguns problemas aqui no físico, por enquanto seremos os mais discretos possíveis, lembre-se que nem todos estão preparados para ver”      No hospital, Isabel chega para buscar Gabriel.“O que você fez”“Não tenho que lhe dar satisfação”“Vamos embora”      Gabriel, em uma maca, foi posto em uma ambulância, sua expressão era de alguém que tinha desistido da vida, após chegar em casa, só podia ficar em sua cama, vendo a pintura do sistema solar, tão perto e, ao mesmo tempo, tão longe, não podia estender o braço para tocá-lo como queria, a chuva começava, as cortinas da janela lhe impediam de ver, apenas ouvir o som que lhe marcava como o fim de sua vida.      À noite, após várias horas tentando dormir, Gabriel entrou na fase de sono, se vendo em um cemitério, podia movimentar seus membros, mas seu estado de pouco lucidez lhe impedia de notar suas próprias características, caminhava em direção a uma luz azul em meio a névoa densa, ouvindo murmúrios, os túmulos, de características medievais, aparentavam se mexer, o cheiro lhe lembrava quando fora raptado e o chão não parecia firme, ao caminhar um pouco mais notou um suave som de vibração vinda da luz em forma de esfera, se aproximando, pode notar que ela flutuava acima do teto de uma cúpula que estava enterrada, exceto pela parte de cima, a esfera era hipnotizadora, emitindo um sensação agradável de paz, queria tocá-la e ao tentar um homem lhe impediu.“Isto pode ser perigo Gabriel”“Quem é vocꔓSou conhecido como Vishnu, um amigo antigo de sua irmã, esta esfera de luz serve para atrair certas consciências que estão perdidas entre os cemitérios e querem se redimir, esta sensação de paz ajuda em sua busca, já que é o que desejam, para você estar aqui deve estar procurando paz, não é mesmo?“Não...”“Não não preocupe Gabriel, ainda que eu caminhe no vale das sombras”“Não temerei mal nenhum...Como posso confiar em uma suposta divindade quando não posso movimentar meu corpo?”“Tem certeza que você não o está movimentando?”      Gabriel olha a si mesmo e por um momento fica lúcido, notando que podia movimentar-se, mas sua euforia foi excessiva, acabando por acordar, percebendo que seus braços e pernas não se mexiam”“Foi só um sonho...”      Vishnu estava do lado dele, ainda que não podia percebê-lo ou ouvi-lo, sussurrou em seus ouvidos:“Por que o senhor estás comigo...vai ficar tudo bem Gabriel”



Categorías: Crônicas

Publicar un comentario

Uy!

Uy, se olvidó de algo.

Uy!

Las palabras que ha ingresado no coinciden con el texto dado. Por favor, inténtelo de nuevo.

0 comentarios