Projecao Astral - Espiritualidade - Consciencia

Blog

Infancia e mediunidade

Publicada el 26 Ee enero Ee 2014 a las 20:50

Me chamo Meyrielle Farias, tenho 23 anos e sou médium. Venho compartilhar com vocês um pouco das minhas experiências mediúnicas, ainda quando criança.


INFÂNCIA E MEDIUNIDADE

Com 3 anos de idade lembro-me de estar em meu berço e sempre que olhava para o teto tinha a sombra de um homem que ficava me chamando.. ("vem para o tio, vem para o tio") Como tudo para criança é novidade, achava aquilo curioso e ao mesmo tempo tinha um pouco de medo.. aquela cor negra da sombra me causava espanto e raramente eu queria ficar sozinha no quarto.Tinha medo dele descer do teto e querer fazer algo comigo.

Tentava chamar a atenção da minha mãe, apontando para cima, ela olhava e me dizia que não tinha nada lá. Todos que iam em minha casa achavam estranho que eu ficasse apontando para o teto a todo momento.

Naquela época, tínhamos um vizinho que era pai de santo, todos o chamavam de benzedeiro. Já era um homem idoso, possuía seus 60 e poucos anos e certo dia, ele incorporou um espirito desencarnado que se identificou como José, irmão do meu pai.

A esposa dele foi correndo chamar minha mãe, pois ele tinha um recado a passar. E disse o seguinte:

"O Vicente (meu pai) vai morrer igual a mim (ele morreu bêbado e foi atropelado. Seus restos mortais tiveram que ser recolhidos com uma pá ) se vocês não fizerem o que eu digo. Quero luz, e pra nada acontecer com ele, vocês precisam mandar fazer uma missa pra mim! Essa missa tem que acontecer numa segunda-feira e ninguém da família pode ir e muito menos passar perto da igreja, por que se for, eu acompanho!"

A tal missa foi feita e no decorrer da minha infância, nunca mais o vi. Quem me contou como foi a "sessão" foi minha mãe, após alguns anos.


Essa é a primeira experiência com espíritos na qual me recordo.

Categorías: Registros Mediúnicos, Clarividência, Crônicas

Publicar un comentario

Uy!

Uy, se olvidó de algo.

Uy!

Las palabras que ha ingresado no coinciden con el texto dado. Por favor, inténtelo de nuevo.

1 comentario

Responder Andre Fontaine
20:32 Eel 1 Ee mayo Ee 2014 
Oi Meyrielle Farias,gostei de ler seu relato, achei muito corajosa a sua iniciativa e por isso vim colaborar acrescentando um pouco da minha história também!
Também nasci com mais sensibilidade/mediunidade que o comum,então também sentia muitas nuances que a maioria nem sabe que tem!Na minha infância tinham 2 seres que se mostravam como cachorros raivosos a me perseguir...meu Pai me levava nas rezadeiras e depois me levou na casa espirita (aonde tudo se acalmou) que ao ficar adulto passei a frequentar e exercer a mediunidade!Ainda hoje quando falo disso me olhão com estranheza Rsss,mas chegaremos lá neste mundo de regeneração !!!Sei que a transição é lenta e a humanidade se arrasta aferrada aos seus maus pendores,por tanto vamos trabalhadores que a seara é grande e os trabalhadores ainda estão chegando nas novas gerações de índigos e cristais ! Namaskar !