Projecao Astral - Espiritualidade - Consciencia

Blog

Tarot, ferramenta do inconsciente.

Publicada el 5 Ee septiembre Ee 2014 a las 16:10

 

Tarot -Ferramenta do inconsciente

O Tarot é uma ferramenta de trabalho lúdica permeada por símbolos antigos, estabelecidos dentro de contextos - ou  cultural, ou filosófico, ou de idéias, por exemplo.

 

Através dele os temas inconscientes são trazidos à tona, tornando possível o redirecionamento pessoal e a clarificação de eventos conflitantes.

Auxiliam o desbloqueio de energias, expansão da consciência e cura, nos setores material, emocional, intelectual e espiritual, desperta a percepção.

O Tarot nos agracia a todos com o exercício de trazer a tona aspectos inconscientes antes que se materializem. Há registro do primeiro baralho em época de 1417. Mundo afora, ganhou diversos símbolos e imagens,  verdadeiras obras de arte, e também estruturação distinta, conforme o seu canalizador. 

Aqui eu considero a estrutura do Tarot Egípcio de Clive Barret, com 22 Arcanos Maiores e 56 Arcanos Menores.

 

O complexo orgânico perfeito que representa o Tarot, consiste em dois sistemas orgânicos. Um complexo orgânico maior, mais abrangente,  o grupo dos Arcanos Maiores, com 22 duas cartas e o complexo menor, com 56 cartas, chamado de Arcanos Menores. Ambos são importantes e se complementam... isso me lembra  muita relação de complementariedade, agora me veio em mente a relação do SNC e SNS (sistema nervoso central e sistema nervoso simpático).

No grupo Arcanos Maiores as cartas que representam:

 

 

  • 3 Arcanos: 3 elementos em nível superior Água, Fogo e Ar;
  • 7 Arcanos: Os sete Planetas;
  • 12 Arcanos: Os 12 Signos do Zodíaco.

 

 

 

 

Esses 22 Arcanos são análogos a diversos fatores construtores de complexos ou organismos perfeitos - e complexos perfeitos são representados pela circunferência, 360 graus.

 

São 22 os polígonos regulares inscritos numa circunferência. 360 graus tem 4 divisores, sendo que os divisores 1 e 2 devem ser excluídos por não construírem polígonos, por não criarem no plano tridimensional . E aqui estamos aqui margeando a Geometria Sagrada.

 

No Alfabeto Hebraico são 22 os blocos formadores do universo. Encontramos na Cabala 10 ( 3 + 7) Sefirah (esferas, circunferências, organismos, mundos, reinos, consciências) ligadas por 22 caminhos. E aqui estamos margeando a Kabhallah.

 

Em se tratando de circunferência, consideremos o raio: r=3,14 (também usado nas construção das pirâmides).

 

3,14 multiplicado por 7 (o número que representa o homem espiritualmente perfeito, 3+4), nos apresenta o total de 21,98. Os 22 Arcanos maiores do Tarot representam a Criação.

 

A humanidade foi criada para ser Receptor da Luz da Perfeição. Foi criada para receber as bençãos. É o que sempre fomos e o que sempre seremos e nossas almas corporificam o desejo de receber para compartilhar… ao passo em que nosso corpo (a personalidade) é o egoísmo do desejo de receber somente para sí.

 

O outro sistema orgânico componente do Tarot chama-se Arcanos Menores, possui 56 cartas divididas em quatro grupos de 14 cartas, ou quatro órgãos, cada órgão é uma subesfera, um ambiente, uma esfera estabelecida no plano material, o NAIPE. Relacionada com os 4 elementos na nossa dimensão, inclusive dispensando características de temperamento humano. Trata-se do Plano Estabelecido.

 

Aprender sobre o Plano estabelecido ajuda a ultrapassar os limites da ilusão da personalidade. Em geral, tendemos a achar que espiritualidade e matéria são coisas distintas, contudo, nossa função original é realizar na matéria as intenções do nosso Eu Superior, sermos conduzidos pela Águia de volta para casa.

 

Naipes

 

 

  • Paus (Fogo) – o ambiente humano e as pessoas desse ambiente, que se relacionam com o dever, com a coragem, com as aspirações – tipo humano racional e responsável;
  • Ouros (Terra) – o ambiente humano e as pessoas desse ambiente, que se relacionam com aquisições, realizações e bens – tipo humano prático e materialista;
  • Copas (Água) – o ambiente e as pessoas desse ambiente, que se relacionam com as emoções, com a trocas, com as paixões e com as artes – tipo humano que valoriza relacionamentos e artes.
  • Espadas (Ar) – o ambiente e as pessoas desse ambiente, que se relacionam com a adversidade, com a transformação e ações não planejadas – tipo humano que se esforça contra o outro.

 

 

 

 

 

Cada "órgão" ou naipe é composto de 14 cartas:

 

 

  • 4 cartas, Rei, Rainha, Príncipe e Princesa, pessoas com as características humanas correspondentes ao ambiente, o órgão;
  • 10 cartas numeradas, do 1 (ou Ás), até o 10.

 

 

Do um ao nove de cada Naipe temos o ciclo completo, o 10 é o recomeço, num plano superior. O Bhagavad Gita ensina que temos 3 planos a galgar e a maioria dos humanos não deseja sair do primeiro plano.

 

Há uma referência no Tarot Zen de Osho, página 15: nela diz que o número 56 e os Naipes se relacionam com os sete passos de ida e sete passos de volta que Buda realizou em cada uma das 4 direções cardeais, quando nasceu. E eu acredito plenamente no sentido esotérico dessa alegoria.

 

Na abordagem total os números são qualitativos e não quantitativos e representam cada possibilidade existente no ambiente.

 

Os ímpares são positivos, ativos, fecundos, reconhecidos assim: 1, 3, 5, 7, 9, 10 (pois 1+0=1), lidos geralmente como mensagens favoráveis;

 

Os números ímpares são passivos, não geradores, negativos, pois neles a unidade foi bipartida, s]ao 2, 4, 6 e 8 e são lidos geralmente como mensagens desfavoráveis, onde há bloqueio de energia.

 

Em resumo, pra cada Naipe, os números são assim lidos:

 

1 ou Ás, início de ação;

 

2, Passividade, dualidade, divisão, dificuldade;

 

3, Perfeição, complementação, fertilidade, conclusão;

 

4, matéria, inércia, inatividade, passividade;

 

5, novo impulso, prazer;

 

6, crise, obstáculo, perda, enfermidade;

 

7, triunfo, sucesso;

 

8, perda de um processo;

 

9, novo impulso em plano superior, distância, estrangeiro;

 

10, Plenitude, fim de um ciclo, realização, avaliação.

 

As Casas Astrológicas representam outra vez o circulo perfeito divido em 12 raios, estes que são os setores ou casas onde acontece a ilustração do todo que se forma, para que o consulente tome consciência das tendências que se desencadeiam em sua vida.

 

Em resumo, lê-se assim:

 

Casa 1 de Áries, EU

 

Casa 2 de Touro, MEU

 

Casa 3 de Gêmeos, DENTRO,

 

Casa 4 de Câncer, DE ONDE,

 

Casa 5 de Leão, PESSOAL,

 

Casa 6 de Virgem, TRABALHO,

 

Casa 7 de Libra, TU

 

Casa 8 de Escorpião, TEU,

 

Casa 9 de Sagitário, PARA ONDE,

 

casa 10 de Capricórnio, PARA ONDE,

 

Casa 11 de Aquário, SOCIAL,

 

Casa 12 de peixes, CARMA (o trabalho maior)

 

Temos muitos futuros possíveis. Chamamos o Leão, despertamos a coragem, fazemos a escolha e aprendemos com o resultado, para chegar a novos nívei de conhecimento, plenitude e mais próximo do amor.

 

Gratidão,

 

Márcia cristina.

http://aguaeflorterapias.wordpress.com.br



Categorías: Ninguno

Publicar un comentario

Uy!

Uy, se olvidó de algo.

Uy!

Las palabras que ha ingresado no coinciden con el texto dado. Por favor, inténtelo de nuevo.

0 comentarios